segunda-feira, 28 de maio de 2012

NÃO HÁ IGREJA SEM PENTECOSTES


 Celebramos em Pentecostes a vinda do Espírito Santo, depois de cinquenta dias da Páscoa. O Espírito Santo desceu sobre os Apóstolos reunidos no Cenáculo e os tornou capazes de anunciar o Evangelho com coragem (cf. At 2,1-13). Este acontecimento, que nós nos identificamos com ele, é o verdadeiro “batismo” da Igreja. De fato, a Igreja vive da efusão do Espírito Santo, sem o qual ela não teria força e não existiria mais. E este acontecimento renova-se de modo particular em alguns momentos fortes das comunidades eclesiais: nas liturgias, em romarias, nas Santas Missões Populares, nas festas de Crisma, vigílias jovens, nas assembleias pastorais e em tantos momentos especiais para a vida das comunidades, nas quais a força de Deusse sente de modo evidente, infundindo alegria e entusiasmo nos corações. A Igreja toda reunida no Cenáculo recebe o Espírito Santo. Os Apóstolos “perseveravam na oração em comum, junto com algumas mulheres, entre elas, Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele” (At 1,14). O Espírito Santo une os fiéis entre si, nasce a Igreja na unidade. Pentecostes reúne a todos. Não há Igreja sem Pentecostes e não há Pentecostes sem a Virgem Maria. Quando os cristãos se reúnem em oração com Maria, o Senhor doa o seu Espírito. Este santifica a comunidade de fiéis e comunica-lhe a plenitude da graça, dirige a Igreja através das dificuldades, perseguições e perigos, até ela alcançar a glória definitiva. É o Espírito Santo que suscita sempre nova vida na Igreja. Ele é a alma e a vida da Igreja. Concede-nos a graça necessária para desempenharmos a nossa missão. Pela força do Espírito Santo nos tornamos missionários para anunciar o Evangelho a todas as criaturas. Nós, que somos Igreja, somos permanentemente missionários. A Igreja recebe a ordem de Jesus: “Ide, pois, fazei discípulos entre todas as nações, e batizai-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-lhes a observar tudo o que vos tenho ordenado. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos” (Mt 28,19s). A Igreja conta com o Espírito Santo. Ele sempre assegurou à Igreja o rumo certo. Apesar dos pecados, que acompanham a condição humana dos discípulos de Cristo, a Igreja não esmoreceu ao longo da história, porque nela vive e age o Espírito Santo. Este dá à Igreja novas energias e faz fortes os frágeis e medrosos mensageiros do Evangelho. Não posso esquecer um dos grandes servidores do Evangelho, Frei Damião de Bozzano, missionário nos sertões do nordeste brasileiro, há 15 anos de saudades. Para sermos corajosos e criativos discípulos missionários de Jesus Cristo, invoquemos a especial ajuda do Espírito Santo, em Pentecostes, neste dia 27 de maio de 2012.


 Dom Francisco de Assis Dantas de Lucena
 Bispo de Guarabira(PB)


Fonte: Blog da Diocese de Guarabira

domingo, 6 de maio de 2012

Pastoral do Bom Pastor

Aconteceu neste primeiro sábado de maio em Santa Fé
o encontro dos padres da região pastoral de Solânea 
que corresponde a 11 cidades
e dois casais por paróquia.
O encontro teve como assessoria o Monsenhor Nicodemos e o casal João e Ozana, ambos da cidade de Alagoa Grande.
Eles abordaram a necessidade da pastoral do Bom Pastor 
para casais que vivem estavelmente em segunda união.
A realidade é que muitos casais de segunda união se sentem excluídos da Igreja e, daí, a necessidade de mostrar-lhes que são amados por Deus e que Deus não os excluiu.
A exemplo de Jesus, o bom pastor, precisamos ir atrás dessas ovelhas e inseri-las na comunidade.
Esta pastoral que está presente na paróquia da Catedral 
e na Paróquia de Alagoa Grande 
deve-se estender as 11 cidades de nossa região.