sábado, 28 de julho de 2012

MEJ em Solânea

Atenção Jovens
Venha fazer parte deste movimento
em Solânea

 


 MEJ- Movimento Eucarístico Jovem

Matriz: Sábado das 15h às 16h 
Santo Agostinho: Sábado das 16h às 17h (foto)
Ave Maria: Domingo das 10h30 às 11h30
São José: Domingo das 16h30 às 17h30
Sagrada Família: Quarta-Feira das 19h às 20h




sexta-feira, 27 de julho de 2012

Grupo DESPERTAI


Faça parte desse grupo jovem
encontro todos os domingos
às 18h30 
na comunidade Santa Mônica
Solânea-PB


“DEUS EXISTE INTERIOMENTE”


Valdinei Caes

“Es mucho más difícil llegar a conocer a Dios. Dios no es algo externo, como uma esposa a la que puedo preguntarle si es que está contenta comigo.”
(KIERKEGAARD, 2008, p. 163).

Durante o curso de teologia (2005-2009), certa vez, um professor sabiamente dissera em sala de aula que: “o estudante de teologia que não encontra Deus no seu quarto, tampouco O encontrará na capela ou em seus estudos particulares ou ainda na sala de aula”. Na época, confesso que não compreendi a profundidade e a dimensão dessas palavras. Mas o que elas significam?
O Evangelho de São Mateus 6:6 reza: “Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechando tua porta, ora a teu Pai que está lá, no segredo”. O quarto pode ser entendido como a interioridade, o lugar da intimidade. O catecismo da Igreja católica afirma que este lugar de intimidade é a consciência do homem. “A consciência é o núcleo secretíssimo e o sacrário do homem, onde ele está sozinho com Deus e onde ressoa sua voz”. (CIC, §1776).
Kierkegaard, teólogo dinamarquês, do século XIX, nessa perspectiva, destaca que este lugar em que o homem está sozinho e no encontro consigo é a interioridade, e que “Deus é um sujeito que, enquanto tal, só existe interiormente para a subjetividade” (KIERKEKEGAARD, 2008, p. 202).  Em outros termos, se o homem tenta encontrar Deus na objetividade, isto é, nas coisas, fatos e pessoas que o cercam, “levará tempo, talvez um largo tempo” (KIERKEKEGAARD, 2008, p. 202), para encontra-Lo, senão O encontrar, em primeiro lugar, em sua interioridade.
O encontro com Deus, em primeiro lugar deve acontecer na intimidade do homem, para isso, porém, em oração, será preciso ‘fechar a porta’ para tudo aquilo que nos distancia d’Ele, e no encontro consigo desejar encontrar-se com Deus, porque Deus está na interioridade, na subjetividade, ou melhor, no íntimo do homem e ali, no silêncio escutar o ‘ressoar de sua voz’. Para escutar o ressoar dessa voz, se faz necessário fechar a porta do seu quarto e silenciar. Kierkegaard (2008, p. 199) ressalta que: “É só de forma momentânea que o indivíduo particular, enquanto existente, pode estar em unidade ao infinito [Deus] e ao finito [homem], que transcende o existir. Este momento é o instante da paixão”.
Santo Agostinho (354-430), já havia dito que Deus está: “mais íntimo a mim mesmo de quanto o seja eu próprio” (Cf. AGOSTINHO, Confissões, III, 6, 11). O fato de Deus ser ou estar ‘mais íntimo a mim mesmo’, como afirma Sto. Agostinho, não é algo que se deve levar em consideração para se conhecer a Deus com maior facilidade. Muito pelo contrário, segundo Kierkegaard (2008, p. 163), isso faz com que se torne “muito mais difícil chegar a conhecer a Deus”, porque “Deus não é algo externo, como uma esposa à quem se possa perguntar-lhe se está contente comigo”.
Embora seja ‘difícil chegar a conhecer a Deus’, porque Ele faz ressoar sua voz em nossa intimidade, quando nos encontra em silêncio em nossa consciência e sozinho com Ele. Muitas vezes tentamos encontra-Lo em nossa exterioridade, quando na realidade Deus existe interiormente. Na exterioridade, no máximo, encontraremos sua imagem e semelhança (Gn 1:27).
Portanto, convictos de que Deus existe em nossa interioridade, ao fecharmos a porta de nosso quarto para orarmos, peçamos a Ele, que é mais íntimo do que nossa própria intimidade, para que nos ajude a escuta-Lo.


REFERÊNCIAS


KIERKEGAARD, Søren Aabye. Postscriptum no científico y definitivo a migalhas filosóficas. Trad. Nassim B. Jordán. Ciudad de México: Universidad Iberoamericana, 2008.

AGOSTINHO, Santo. Confissões. Digitação: Lucia M. Csernik, 2007.

BÍBLIA, Sagrada. Bíblia de Jerusalém. São Paulo: Paulus: 2002.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Participe do 1º Encontro do MEJ

MEJ: Movimento Eucarístico Jovem, realizará seu primeiro encontro do setor Matriz.
PARTICIPE!!!

sábado, 14 de julho de 2012

Envio e missão

Envio e Missão
No tempo de Jesus havia vários outros movimentos de renovação. Por exemplo, os essênios e os fariseus. Também eles procuravam uma nova maneira de conviver em comunidade e tinham os seus missionários (cf. Mt 23,15). Mas estes, quando iam em missão, iam prevenidos. Levavam sacola e dinheiro para cuidar da sua própria comida, pois não confiavam na comida do povo, que nem sempre era ritualmente "pura".
Ao contrário dos outros missionários, os discípulos e discípulas de Jesus receberam recomendações diferentes que ajudam a entender os pontos fundamentais da missão de anunciar a Boa Nova, que receberam de Jesus e que ainda é a nossa missão:
a) Deviam ir sem nada. Não podiam levar nada, nem bolsa, nem ouro, nem prata, nem dinheiro, nem bastão, nem sandálias, nem sequer duas túnicas. Isto significa que Jesus os obriga a confiar na hospitalidade, pois quem vai sem nada vai porque confia no povo e acredita que vai ser recebido. Com esta atitude criticavam as leis de exclusão, ensinadas pela religião oficial, e mostravam, pela nova prática, que tinham outros critérios de comunidade.
b) Deviam comer o que o povo lhes dava. Não podiam viver separados com sua própria comida e deviam aceitar a comunhão de mesa. Isto significa que, no contato como o povo, não deviam ter medo de perder a pureza como era ensinada na época. Com esta atitude criticavam as leis da pureza em vigor e mostravam, pela nova prática, que tinham outro acesso à pureza, isto é, à intimidade com Deus.
c) Deviam ficar hospedados na primeira casa em que fossem acolhidos. Isto é, deviam conviver de  maneira estável e não andar de casa em casa. Deviam trabalhar como todo o mundo e viver do que recebiam em troca, "pois todo o operário merece salário" (Lc 10,7). Em outras palavras, eles deviam participar da vida e do trabalho do povo, e o povo os acolheria na sua comunidade e partilharia com eles casa e comida. Significa que deviam confiar na partilha. Isto também explica a severidade da crítica contra os que recusavam a mensagem (Lc 10,10-12), pois não recusavam algo novo, mas sim o próprio passado.
d) Deviam tratar dos doentes e necessitados, curar os leprosos e expulsar os demônios (Lc 10,9; Mt 10,8). Isto é, deviam exercer a função de "defensor" (goêl) e acolher para dentro do clã, dentro da comunidade, os que viviam excluídos. Com esta atitude criticavam a situação de desintegração da vida comunitária do clã e apontavam saídas concretas.
Estes eram os quatro pontos básicos que deviam marcar a atitude dos missionários ou das missionárias que anunciavam a Boa Nova de Deus em nome de Jesus: hospitalidade, comunhão de mesa, partilha e acolhida aos excluídos. Caso estas quatro exigências fossem preenchidas, eles podiam e deviam gritar aos quatro ventos: O Reino chegou! Pois o Reino de Deus que Jesus nos revelou não é uma doutrina, nem um catecismo, nem uma lei. O Reino de Deus acontece e se faz presente quando as pessoas, motivadas pela sua fé em Jesus, decidem viver em comunidade para, assim, testemunhar e revelar a todos que Deus é Pai e Mãe e que, portanto, nós, seres humanos, somos irmãos e irmãs uns dos outros. Jesus queria que a comunidade local fosse novamente uma expressão da Aliança, do Reino, do amor de Deus como Pai, que faz de todos irmãos e irmãs.
Texto extraído do livro "Caminhando com Jesus" - Série A Palavra na Vida 182/183. Autores: Carlos Mesters e Mercedes Lopes. CEBI Publicações. Mais informações:vendas@cebi.org.br.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Apocalipse e a Santa Missa – Scott Hahn



Culto dominical
1,10
Um sumo sacerdote
1,13
Um altar
8,3-4;11,1/14,18
Sacerdotes (presbíteros)
4,4; 11,16; 14,3; 19,4
Túnicas
1,13; 4,4; 6,11; 7,9; 15,6; 10, 13-14
Celibato Consagrado
14, 4
Homens em vestes brancas
4, 4
O tabernáculo (tenda)
15, 5
Candelabros (Menorah)
1, 12; 2, 5)
Incenso
5, 8; 8, 3-5
Cálices
15,7; 16,1; 21,9
O sinal da Cruz
7,3; 14,1; 22,4
O Glória
15, 3-4
O Aleluia
19, 1.3.4.6
Corações ao alto
11,12
Santo, santo, santo
4, 8
Amém
19,4; 22,21
O cordeiro de Deus
5,6 até o fim
Intercessão dos anjos e dos santos
5, 8; 6, 9-10; 8, 3-4
Cântico de Antífona
4, 8-11; 5, 9-14; 7, 10-12; 18,1-8
Contemplação silenciosa
8,1
Ajoelhando-se diante do cordeiro
1, 17; 4,10
Cântico de fiel louvor a Deus
4, 8; 5, 9; 14, 3; 15,3
O banquete das bodas do Cordeiro
19,9, cf 19, 17


Livros recomendados:
A SAGRADA ESCRITURA NO MISTÉRIO DA SANTA MISSA- Razões para ser Católico – Scott Hahn e Regis J. Flaherty (org)

O BANQUETE DO CORDEIRO – Scott Hahn

TODOS OS CAMINHOS VAO DAR A ROMA - O NOSSO PERCURSO... Scott Hahn e  Kimberly Hahn

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Notícias do Pe. Adone


Terminei o Ano Sabático-(Repouso em Deus-Criador)
e Jubilar (Ação de Graças em Deus -Salvador)
(Também aquilo que é bom Termina...
É um mês que estou em família (Itália) e quase todos os dias ocupados para colocar em dia a Documentação
e pela saúde... Tenho ainda alguns "Retornos". Mas tudo bem.
Obrigado da vossa lembranças e mais ainda dos vossos abraços.
E' Deus que os inspira!!! Porque Deus é Amor.

Diocese de Guarabira no 20º Congresso Nacional do ECC


Entre os dias 13 a 15 de julho, será realizado em Presidente Prudente, o 20º Congresso Nacional do Encontro de Casais com Cristo (ECC), realizada a cada quatro anos. Para o evento, são esperados cerca de 1.000 congressistas, vindos de todas as regiões do País. Os participantes se reunirão no Campus II da Unoeste, para discutir mudanças no documento nacional do ECC e conhecer projetos desenvolvidos pela Igreja. A Diocese de Guarabira estará representada pelo Bispo Diocesano Dom Lucena e o casal do ECC, Maria das Graças Macena Costa (Graça) e Severino da Costa Silva (Bica).

O tema escolhido para o Congresso ‘Família, projeto de Deus’, foi selecionado para levar as famílias à reflexão e para lembrar que a “família é um projeto de Deus”, como mencionou o bispo diocesano, dom Benedito Gonçalves dos Santos, envolvido com o projeto desde 1991.

Conforme publicado no blog oficial do congresso (eccnacional2012.blogspot.com.br), dom Benedito Gonçalves – que também é assistente eclesiástico do Conselho Nacional do ECC –, explicou que o lema ‘Prudente é o homem que edifica sua casa sobre a rocha’, é um trocadilho para colocar o nome da cidade-sede do Congresso em pauta. “O lema é uma passagem bíblica – Matheus, capítulo 7 e versículo 24 –, que ensina que só tem firmeza o homem que tem como seu alicerce Jesus Cristo, para vencer as tentações e dificuldades do mundo moderno”, citou o bispo.

Para o casal que compõe a equipe de direção do Congresso, Joaquim Madalena e Maria Aparecida de Jesus, casados há 35 anos e residentes em Ceilândia, cidade próxima a Brasília, o congresso é uma oportunidade para casais se aprofundarem nas reflexões do evangelho, e uma forma de aprimorarem suas atuações na diocese.

“O Encontro de Casais com Cristo é um serviço da igreja, com o congresso esperamos que haja o aperfeiçoamento desse serviço no Brasil”, disse Joaquim Madalena que, junto com sua esposa, está engajado em serviços em prol da família desde 1981. Ainda de acordo com Joaquim Madalena, a participação no movimento ECC “melhora a harmonia conjugal, a educação dos filhos, e cria vínculos com a comunidade paroquial”. “O casal que passa pelo encontro, está preparado para atuar na paróquia e está inserido de fato na comunidade paroquial”, afirmou.

DVDs

Para aqueles que não puderem participar pessoalmente do 20º Congresso Nacional do ECC, a organização colocará a disposição para venda, seis DVDs com todas as atividades realizadas durante o evento.

De acordo com o blog oficial do evento, quem adquirir o material terá acesso às imagens da recepção dos congressistas no evento, missas, espiritualidades, palestras, protocolo de abertura, inclusive, inclusive, a íntegra dos 18 painéis que serão apresentados aos congressistas. A expectativa dos organizadores é de que sejam vendidas aproximadamente 1.000 cópias, quantidade necessária para arcar com os custos da produção.

Fonte: Diocese de Guarabira

domingo, 8 de julho de 2012

Barragem de Solânea


 As duas primeiras fotos são da Barragem (Canafístula)
que abastece Solânea no dia 17 de junho.

As outras duas são de hoje 08 de julho

Continuamos aconselhando o uso adequado da água
Evite desperdício
A água que você gasta a mais hoje poderá precisar dela amanhã

Missões Populares - Solânea 12 a 15/julho


Nos dias 12 a 15 de julho de 2012
as comunidades São João Batista e
Nossa Senhora das Dores (Conj. Pe. Cicero)
receberão a presença da juventude Doroteana
que fará visitas às famílias.
Tema: Jovem, ide! Evangelizai e transformai o mundo!
Propostas de ação:
Encontro para conhecer a realidade
Visitas às famílias (sobretudo as famílias dos jovens)
Caminhada Jovem, com o tema: A JUVENTUDE QUER VIVER
Encontros de formção


PROGRAMAÇÃO DA MISSÃO

QUINTA-FEIRA 12/07/12
7:30H – Oração de envio dos jovens missionários na Com. Paula Ângela Maria – Recife
8:00h – Saída de Recife
12:00h – Chegada em Solânea – Comunidade São João Batista
15:00h – Visita à Comunidade Padre Cícero e reunião com as lideranças
19:30h – Participação na Adoração ao Santíssimo – Com. São João Batista
20:00h – Reunião com as lideranças da Comunidade São João Batista

SEXTA-FEIRA – 13/07/12
07:00h – Oração e envio dos missionários à Comunidade Padre Cícero
08:00h – Visita às famílias – Com. Padre Cícero
19:00h – Encontro com os jovens da Com. Padre Cícero (a Confirmar)
19:30 – Participação no terço das mulheres – Com. São João Batista
21:00h – Encontro dos missionários para uma partilha do dia

SÁBADO – 14/07/12
06:00h – Ofício de Nossa Senhora – Com. São João Batista
08:00h – Oração de envio
08:30h – Visita às famílias do Conjunto
14:00h – Visita às famílias do Baixio
18:30h – Reunião com os coordenadores do grupo de jovens – Com. São João Batista
19:30h – Encontro com os jovens – Com. São João Batista
21:00h - Encontro dos missionários para uma partilha do dia

DOMINGO – 15/07/12
07:30h – Oração de envio
08:00h – visita às famílias do Pissarro
Visita aos grupos de catequese
Encontro com as catequistas da Comunidade São João Batista e Padre Cícero (a confirmar)
14:30h – CAMINHADA JOVEM, com o tema: A JUVENTUDE QUER VIVER. Saindo da Com. Padre Cícero para a Com. São João Batista
19:30h – Celebração Eucarística – Comunidade São João Batista
20:30h – Encontro dos missionários para avaliar a missão.

SEGUNDA-FEIRA – 16/07/12
05:00h – PARTIDA dos missionários para Recife

PROGRAMAÇÃO DA CAMINHADA JOVEM- 15/07

CONCENTRAÇÃO: Comunidade Padre Cícero
Tema: Juventude
Responsável: Monique e os jovens da Comunidade local

1ª PARADA: Comunidade Sagrada Família
Tema: O que não deixa a juventude viver?
Responsável: Vitória e jovens da comunidade local

2ª PARADA: Comunidade São José
Tema: A juventude quer viver.
Responsável: Audiléa e jovens da comunidade local
EENCERRAMENTO: Comunidade São João Batista
Tema: A juventude tem sonhos
Responsável: Ana Lúcia e Luís, e jovens da comunidade local.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

COMO SE FAZ DURAR UM AMOR?


 Uma mãe e a sua filha estavam a caminhar pela praia.
 Num certo ponto, a menina perguntou: Como se faz para manter um amor? A mãe olhou para a filha e respondeu: Pega num pouco de areia e fecha a mão com força...

A menina assim fez e reparou que quanto mais forte apertava a areia com a mão com mais velocidade a areia se escapava.

- Mamãe, mas assim a areia cai!
- Eu sei, agora abre completamente a mão...

A menina assim fez, mas veio um vento forte e levou consigo a areia que restava na sua mão.  Assim também não consigo mantê-la na minha mão!

A mãe, sempre a sorrir, disse-lhe: Agora pega outra vez num pouco de areia e deixe-a na mão semi-aberta como se fosse uma colher bastante fechada para protegê-la e bastante aberta para lhe dar liberdade.

A menina experimenta e vê que a areia não escapa da mão e está protegida do vento. É assim que se faz durar um amor...