quinta-feira, 10 de novembro de 2016

O DÍZIMO - “Fazei esta experiência comigo” (Malaquias 3, 10).

O DÍZIMO



Deus pede: “Fazei esta experiência comigo” (Malaquias 3, 10).





A cada dia as pessoas estão se conscientizando sobre a importância de serem dizimistas. A Igreja, desde o tempo bíblico é legalmente mantida com o dízimo e as ofertas.

O primeiro dizimista foi o patriarca Abraão (Gn 14, 18-20), o pai da fé; ele “deu ao sacerdote Melquisedec a décima parte de tudo”.

O verdadeiro filho de Deus é grato a Ele por tudo que Ele faz em sua vida e, como gratidão, devolve parte do que recebe, pois sabe que não lhe pertence. Se não lhe pertence, não pode gastar.

Deus pede: “Trazei o dízimo completo para o Templo. Façam essa experiência comigo, diz o Senhor dos exércitos. Vocês hão de ver, então, se não abro as comportas do céu, se não derramo sobre vocês as minhas bênçãos de fartura” (Cf. Ml 3, 6-12).

Nos Evangelhos Jesus fala claramente que o dízimo precisa ser dado. “Ai de vós, mestres da Lei e fariseus hipócritas! Pagais o dízimo da hortelã, da erva doce e do cominho e desprezais os ensinamentos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia, a fidelidade. Vocês deveriam praticar isso, sem deixar de fazer aquilo” (Mt 23,23).

Nesta passagem Jesus salienta: vocês precisam ser dizimistas sem deixar de praticar a caridade e a misericórdia a quem precisa. Deem a Deus o que é de Deus e da parte que lhe sobra façam também caridade. Não compete ao fiel fazer caridade com a parte que pertence a Deus. Faça com a parte que lhe pertence. A parte de Deus é de Deus e só compete ao fiel entregar no Templo (Ml 3,10). Aquele que está à frente do Templo deve administrar bem o dízimo arrecado e um dia prestará contas a Deus.

Para Deus se deve “doar sem pena ou constrangimento, porque Deus ama quem dá com alegria” (2 Cor 9,7).

Termino lembrando as ilustres figuras de 05 de novembro: São Zacarias e Santa Isabel, pais de São João Batista. “Nos tempos de Herodes, rei da Judéia, houve um sacerdote por nome Zacarias, da classe de Abias; sua mulher, descendente de Aarão, chamava-se Isabel. Ambos eram justos diante de Deus: obedeciam fielmente a todos os mandamentos e leis do Senhor” (Lc 1, 5-6).

Zacarias, mesmo sendo sacerdote, era dizimista, pois ser justo diante de Deus, significa observar fielmente todos os preceitos do Senhor.

São José, mesmo sendo pobre, era também justo (Lc 1, 19), ou seja, também dizimista.

“O pouco com Deus é muito. O muito sem Deus é nada”

E agora, qual a desculpa para não ser dizimista?
O fato de ser padre, coordenador, catequista, RCC, ECC, EJC ou membro de pastorais e comunidades não dispensa de ser dizimista. Pelo contrário, deveria ser o primeiro a dar exemplo e ser justo e fiel a Deus. Pense nisso!

Pe. José Carlos, CRL.